Saiba mais sobre os medidores de consumo de água. Em caso de reclamações, veja o passo a passo


HIDRÔMETRO TIPO VOLUMÉTRICO

O medidor de água muito utilizado no mundo e que passou a ser adotado pela SANASA em 2007, devido a sua maior precisão e confiabilidade. Atualmente existem cerca de 140.000 hidrômetros volumétricos instalados em Campinas.

Princípio de funcionamento: Equipamento cujo mecanismo de medição é composto por uma câmara e um pistão. O pistão possui um volume conhecido, que enche e esvazia em uma volta. A cada volta o pistão transporta um volume fixo de água. As voltas são contadas e multiplicadas pelo volume, indicando assim a quantidade de líquido que passou pelo medidor.

Este tipo de medidor de água, devido ao seu princípio de funcionamento, NUNCA MARCA A MAIS (contra os clientes), acima dos limites máximos permitidos pelo Inmetro. Em caso de consumo incompatível com a quantidade de moradores, não é recomendada a solicitação do serviço de aferição e sim a realização de testes de vazamento.

Teste de vazamento: A maneira mais fácil de realizar o teste de vazamento é não utilizar água no imóvel por no mínimo 2 horas e após este período verificar se o medidor está registrando a passagem de água. Caso negativo não existe vazamento interno. Caso positivo, aguarde por mais 1 hora, pois pode ser que a caixa d´água ainda não está completamente cheia. Após este período, caso o medidor ainda esteja registrando a passagem de água, existe vazamento interno.

Serviço de aferição de hidrômetros volumétricos: No período de 2007, quando a SANASA começou a utilizar este tipo de hidrômetro, até 2017, já foram realizadas 999 aferições de hidrômetros volumétricos a pedido dos consumidores, utilizando o Laboratório Móvel de Aferição da SANASA, sendo que em 787 casos, 79% do total, os medidores estavam aprovados e 212 casos, 21% do total, estavam reprovados MARCANDO A MENOS. Portanto, nunca houve nenhum caso onde o medidor estava marcando a mais, contra os clientes, comprovando as informações acima.





NOTA: Os valores de consumo de água per capita apresentados nas Tabelas são referência, podendo existir variações em função de hábitos de consumo, utilização de equipamentos economizadores de água, existência de áreas verdes, animais domésticos e ainda ocorrências de vazamentos nas instalações hidráulicas. Fonte: SANASA CAMPINAS – Setor de Micromedição e Uso Racional.

ORIENTAÇÕES PARA ATENDIMENTO DE RECLAMAÇÕES DE CONSUMO ELEVADO

1- Analisar se consumo do imóvel está compatível com a quantidade de usuário (apenas para categoria residencial):EDIFICAÇÕES COM PRESSURIZADOR OU COM MAIS DE 05 PAVIMENTOS E DUCHA COM AQUECIMENTO À GAS OU SOLAR


2- Consumos acima dos apresentados nas colunas “MÁXIMO” podem indicar a existência de vazamentos internos.

3- Analisar o tipo do hidrômetro instalado:
  • Se o hidrômetro existente for do tipo volumétrico, informar o cliente que esta tecnologia de medição não marca a mais, acima dos limites máximos permitidos pelo Inmetro, portanto, não é recomendada a solicitação de aferição.
  • Resultados de aferições de hidrômetros volumétricos a pedido dos clientes:


4- Analisar os consumos históricos do imóvel:
  • Verificar se a elevação ocorreu logo após a substituição do hidrômetro;
  • Em caso de troca de hidrômetro velocimétrico por volumétrico é normal que ocorra elevação no consumo, devido a maior precisão do novo equipamento, que é capaz de registrar pequenos consumos, que os medidores velocimétricos antigos, em geral, não conseguem registrar;
  • Elevação superior a 30% em relação à média histórica de consumo, é típica de vazamentos internos.

  • Importante: Os vazamentos podem ocorrer e deixar de existir sem nenhuma ação por parte dos usuários do imóvel, por exemplo, caixa ou válvula de descarga com mecanismo enroscado.

5- Teste de vazamento interno
  • No site da SANASA na internet está disponível o procedimento técnico detalhado, para realização do teste de vazamento interno, que permite identificar se o problema está localizado nas tubulações entre o cavalete e a caixa d´água (alta pressão), após a caixa d´água (baixa pressão), ou se não existe vazamento no imóvel
  • Abaixo é apresentado um procedimento básico, que permite ao usuário apenas constatar de forma rápida e confiável se existe ou não vazamento interno;
  • Não utilize água no imóvel por no mínimo 2 horas (tempo estimado para enchimento da caixa d´água);
  • Após este período verifique se o medidor está registrando a passagem de água;
  • Caso negativo não existe vazamento interno.
  • Caso positivo, aguarde por mais 1 hora, pois pode ser que a caixa d´água ainda não está completamente cheia. Após este período, caso o medidor ainda esteja registrando a passagem de água, existe vazamento interno.
Saiba mais sobre os medidores de consumo de água. Em caso de reclamações, veja o passo a passo Reviewed by Fernando Mendes on Rating: 5

Nenhum comentário:

2021 © Fernando Mendes - Todos os Direitos Reservados.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.